sexta-feira, outubro 10, 2008

Painkiller



Eu tenho um problema. Não é um problemão, mas é algo que eu gostaria de mudar em mim. Eu não consigo ficar triste por muito tempo. Ou melhor, eu não consigo parecer triste por muito tempo. Eu posso estar supertriste com alguma coisa, mas logo eu começo a fazer piada, a rir, a mudar de assunto. Aí, parece para todo mundo e até para mim mesma que eu estou feliz. Eu esqueço o motivo do meu luto e rio, rio. Mas meu coração continua triste, e isso me faz mal.
Quando tenho grandes frustrações, por exemplo, tenho dores físicas, geralmente meses depois do acontecimento. Porque eu não sou transparente. Eu pareço ser muito mais forte do que eu sou, muito mais de bem com a vida do que eu sou. Mas eu estou triste lá dentro. E faço piada porque eu não sei lidar com essa tristeza.
Quando eu brigo com alguém, por exemplo, eu quero terminar aquela briga logo, simplesmente porque eu não consigo ficar triste por muito tempo. Meu coração dói demais e eu quero tirar a dor ali a qualquer custo. É como se eu vivesse a vida a base de analgésicos. A dor passa, mas a doença continua ali. Preferia sentir dor, para depois deixar a doença ir embora. Eu acho que é por isso que eu tenho gastrite. Porque é para a ferida que vai toda a minha dor.

3 comentários:

●•° Histérica °•● disse...

Não és a única... tb não sou capaz de ficar aborrecida com uma pessoa durante muito tempo, não importa o quão séria foi a discussão.

A única solução que encontrei foi concentrar-me em outras coisas para que essa tristeza ou angústia recolhida não se exteriorize de forma a magoar a nós próprias.

;)

Milena disse...

Pois trate de mudar isso rapidinho Lolo! A culpa é da sociedade... A gente cresce escutando que temos que ser felizes, que não podemos ficar triste e bla bla bla! Pois eu dou a mesma importancia pra felicidade e pra tristeza! O dois são sentimentos MEUS, que precisam ser sentidos!

Pensa nisso! Ficar triste e aceitar a tristeza faz bem pra saúde!

Beijoooooooo

helen disse...

Sou igual, Lo. Parece que se a gente não está rastejando e gemendo, não está sofrendo. Só que eu não consigo ficar assim por muito tempo. Por fora, não. Daí as pessoas pensam, que somos umas heroínas e blábláblá e que podem jogar tudo que é pedregulho que a gente segura. Mas não é bem assim, né? Claro que sentimos o peso.
Doi.
bju!