sexta-feira, dezembro 10, 2010

Blame

O mais difícil para mim é ser mãe e continuar sendo eu. As vezes, me parece errado continuar falando besteiras com meus amigos sendo mãe. Ou gostar de Beyonce e Lady Gaga sendo mãe. Ou ver tutoriais de maquiagem na internet sendo mãe. Ou querer ir a shows sendo mãe. Ou gostar de mojitos sendo mãe. Ou ler a Vogue sendo mãe.
A impressão que eu tinha é que, no momento em que eu me tornasse mãe, me transformaria em uma pessoa serena e equilibrada que descobriu o sentido da vida. Para quem moda, álcool, MAC ou música pop eram coisas extremamente irrelevantes. Mas eu fui mãe e, apesar de profundamente modificada, ainda sou eu.
E eu entro em conflito comigo mesma. Será que se eu tivesse tido filhos com 35 anos seria diferente? Será que eu daria menos valor a essas outras coisas? Ou será que isso também me define e não o fato de ter 27 anos?
Eu sei que é uma grande besteira, que ninguém deixa de ser mulher, vaidosa ou de ter outros interesses porque se tornou mãe. Mas ontem, quando eu fiquei pesquisando as funções dos pincéis que minha irmã trouxe da Argentina pra mim, me deu uma angústia. Era como se eu não pudesse mais querer algo tão fútil como maquiagem. Como se todo o meu tempo e o meu coração devessem ser dedicados única e exclusivamente a assuntos maternos. Eu sei que não deve ser assim, que eu posso também cuidar de mim. Mas ainda assim, confesso que senti.... culpa.

8 comentários:

Cinthya Rachel disse...

culpa é coisa feminina! a gente já nasce assim. o fato de ser mãe não anula em anda o que vc era, apenas ACRESCENTA, é algo a mais q não toma lugar das outras coisas. bj

Camila disse...

Manda a culpa embora, bobagem pura!!! Já pensei extamente as mesmas coisas, sabia?? A gente á mãe e tbem é ser humano e mulher, faz tudo parte do pacote!!
Bjos,
Camila
http://www.mamaetaocupada.blogspot.com

Titi disse...

Olá.
Acompanho seu blog a um tempão.
Fique calma.
Nada disso é verdade.
As prioridades é que são outras e nesse momento a autoestima está meio caidinha.
Mas tudo volta.
A vontade de se arrumar e voltar a dar valor a algumas coisas que parecem fúteis, vai voltar aos poucos..
Mas a presença de nossos filhos, ao contrário do que a gente pensa, é que vai dando força pra gente se reconstruir.
Enfim vai chegar um momento que vc vai entender que se arrumar e estar bela também vai ser importante para sua filhota.
A gente estar bem e se valorizar mostra pra eles que se cuidar é importante.
POr exemplo: meu filho acha o máximo quando eu saio com ele arrumada.Ele diz: "mãe vc tá linda".Eu quase morro.
É isso.
Bjcas.

Neda disse...

Para mim, uma das coisas mais importantes que aprendi depois da maternidade foi a não me anular, não esquecer a minha identidade. Meu filho precisa que eu seja eu mesma, que goste de ter um tempo para mim, fale besteira, vá pra balada (que agora é anual) ou curta musica pop, que constinue namorandoe principalmente seja feliz sem culpa.
Conheço muita gente que depois que os filhos nasceram passaram a viver através dos filhos, não faz nada que não seja com e para as crianças. Não me entenda mal, aqui em casa rola muita coisa para criança, mas também rola um programa mais adulto e o Guilherme vai junto e quase sempre se comporta muito bem.
A minha vaidade vem aumentando, a verdade é que nunca foi nem levemente vaidosa, e hoje reparo mais nisso, me cuido mais. Dificilmente vou ser a mãe saradona e gostosona, mas também não vou ser a baranga (risos).
Bjs

Renata disse...

Culpa faz parte da vida de qq mãe, agora pensa bem que chatice uma pessoa que passa a ser mãe em tempo integral e não tem nenhum outro interesse?? Acho que nem o próprio filho aguenta!
E ainda bem que vc ainda é vc! Mudam as prioridades, mas a essência continua a mesma!
beijos mil, lindona!

Roberta Portela disse...

Ah, Lolo, isso tudo é normal. Passamos por momentos difíceis mesmo até nos adaptarmos. Voc~e ainda está vivendo um momento de pós parto, como eu. Achamos que tudo mudaria e no fim, percebemos que não. Somos sim as mesmas pessoas. Você super deve continuar fazendo tudo isso. Eu faço muito também. A diferença, é que agora, além de você falar disso tudo com as pessoas, você tb vai compartilhar as suas novas experiências de mamãe. Na verdade, aprendi que a maternidade só agrega na nossa vida, não nos tira nada a não ser as noites de sono...rsrsrs.

Beijos e fica bem!

Bel disse...

Eu não sou mãe (ainda), mas aposto que todas as outras passam por esse tipo de conflito. Não leve-os tão em conta!! Bjocas.

Janna Joaninha disse...

Olá
adoreiii seu post... até dei uma roubadinha nele pra falar do assunto, dá uma olhada no meu blog