terça-feira, outubro 16, 2007

01, pede pra sair


Assisti Tropa de Elite nesse fim de semana. Sinistro. Em um primeiro momento, quando acabou o filme, minha reação foi “não gostei”. Acho que é porque não sobrou esperança. Esperava menos “vamos explodir a cabeça dos personagens e chocar a sociedade”, sabe? Mas logo depois de passadas as emoções, percebi que o filme é absurdamente bom. Wagner Moura é definitivamente o cara, já achava isso com o Olavo, aquela cena final de Paraíso Tropical em que ele tem os olhos vermelhos de raiva é genial.
Em Tropa de Elite ele está ainda melhor, com tanta, tanta raiva que assusta! E ao mesmo tempo consegue ser absolutamente engraçado em algumas cenas.
Só não entendi uma coisa: de onde foi que tiraram que o filme faz apologia à tortura???? Sério, não consigo conceber, nem acho que as pessoas saíram dali aprovando a prática. Me assustou ainda mais a matéria da Veja dessa semana – revista retrato da direita brasileira – chancelando a tortura e o treinamento absurdo do Bope.
Eu só saí com mais medo. Medo da polícia, do bandido e do usuário. Mas acho que sobrou um pouco de esperança sim. De que os policiais corretos não sejam cooptados pelo sistema. De que os usuários acordem para suas responsabilidades. De que se fortaleça o debate pela descriminalização das drogas, que poderia diminuir muito dessa violência. Esperança também de que acabe essa patrulha ideológica sobre tudo o que se diz e se faz nesse país. As pessoas têm direito a ter opinião, o Luciano Huck tem direito a se revoltar por ter o rolex roubado e todos temos direito de gostar ou não de Tropa de Elite, dá licença?

Um comentário:

Paulo disse...

Eu gostei tb da atuação do "Mathias" no filme, deu pra perceber a mudança do policial certinho e inexperiente para o policial-"Bope".

Bjos